Detalhe de "Plano del Rio Geneyro",Antonio Gonzales de Castro

Real Escuela de Navegación en el Departamto de Cádiz, 1764 

SIMPLES, MAS PERIGOSO

Este é um mapa que inicialmente não chama a atenção, devido a sua simplicidade - parece até um desenho de criança. Entretanto, representou muito perigo para o Rio de Janeiro, por colocar a estrutura de defesa da cidade inteiramente a descoberto.

Todas as fortificações estão assinaladas e, o mais grave, com um criterioso inventário da quantidade de canhões em cada forte (veja em 'Explicación'), informações valiosas para quem planejasse uma invasão. 

Até a muralha de defesa da cidade, construída pelo brigadeiro João Massé entre os morros do Castelo e da Conceição, foi perfeitamente indicada. Tantas informações, sem dúvida, são fruto de um eficiente trabalho de espionagem.

O mapa mostra nove fortes (mais dois em construção), dos quais o mais equipado era o do Morro do Castelo, com 60 canhões. No total, dispúnhamos de 232 "cañones" - dedura o documento. 

Na época em que este mapa foi publicado, o Rio de Janeiro estava em pleno desenvolvimento graças à circulação do ouro extraído em Minas Gerais, o que, entretanto, despertava a cobiça de corsários, piratas e outras nações, fazendo da cidade um alvo em potencial. Éramos, então, pouco mais de 50 mil habitantes.

Celso Serqueira e-mail do autor

   > fechar <

www.serqueira.com.br

© Copyleft 2005 CMS