Home

 

Detalhe de Mapa Geral do Rio de Janeiro, de Randy Macnally, ano 1879

MALUCO BELEZA

Além do defeito na colorização, este mapinha desperta a atenção pela curiosa denominação "Lunatic Asylum" (asilo de lunáticos) com que o autor se referiu ao Hospital Nacional dos Alienados, na Praia Vermelha. Coisas da língua inglesa.

Avenida Pasteur nº 250, Praia Vermelha. Neste endereço, em 1852, nasceu a psiquiatria brasileira, com a fundação do Hospício Pedro II, depois renomeado Hospital Nacional de Alienados. Primeiro hospital psiquiátrico da América do Sul, foi também sede da primeira escola de enfermagem do Brasil, em 1890. 

Em 1937, num anexo, foi instalado o Instituto de Neurossífilis, que o ditador Castelo Branco, em 1965, rebatizou como Hospital Pinel, título que os cariocas irreverentemente transformaram em sinônimo de maluco. Numa tentativa de resgatar o sentido honroso do nome, em 1994, o Pinel foi renomeado Instituto Dr. Phillipe Pinel. Parece que não adiantou muito.

Entre os internos mais conhecidos do antigo Hospital dos Alienados, esteve o paranóico-esquizofrênico Arthur Bispo do Rosário, que virou artista plástico depois de surtar em 1938. As exposições póstumas de seus trabalhos fizeram sucesso em vários países. 

Outra figura relevante no hospício foi o marinheiro João Cândido Felisberto, o "Almirante Negro", líder da Revolta da Chibata, em 1910. Um negão de quase dois metros de altura, valentíssimo, que, aprisionado, pirou ao assistir a 16 companheiros morrerem numa cela da Marinha na Ilha das Cobras. No hospital, aquele tremendo "armário" fazia delicados bordados, hoje expostos em São João Del Rey, MG.

Situado ao lado do Instituto Benjamim Constant, o tradicionalíssimo Hospital dos Alienados atualmente abriga a Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro - o que, pensando bem, tem tudo a ver.

Celso Serqueira